15 de jan de 2013

Que chuva, não?

Saí cedo em direção à praia, mas antes passei na Lagoa, pra ver se reencontrava o caranguejo que vi ontem por lá, já que não consegui tirar uma foto decente devido a um pequeno vacilo: colocar a "capa de chuva" da máquina ao contrário. Tive sorte e acabei encontrando, apesar de não conseguir chegar tão perto pra fotografar. A sorte só não foi completa,  porque a cobrinha d´água que eu também vi ontem, não reapareceu. Mas ficou na mente!



Depois deste rolé que se estendeu por mais de 30 minutos, cheguei na praia e encontrei-a mais vazia do que o normal, apesar do tempo bom. Preparei pra armar a barraca quando vi uma ave grande boiando na água, lutando contra as ondas. Montei a base e fui ao salva-vidas atrás de ajuda e quando voltei, alguns banhistas já haviam tirado o animal da água. Achei que fosse uma fragata, aqueles pássaros de asas enormes que cruzam os céus de Ipanema e sempre aparecem nas minhas artes, mas me informaram que era um albatroz. Aproveitei a oportunidade pra tirar algumas fotos e acabei usando o photoshop pra me livrar dos "papagaios de pirata". Assim que o albatroz foi levado para o zoo, relaxei pra terminar a arte "Modjo", que já completa 3 anos de vida e pelo que parece, termino até o fim deste verão.



Quase no fim da tarde, a chuva veio pesada e fria. Mesmo assim, fui andando pra casa e já completamente encharcado, ainda encontrei energia pra eliminar os restos dos cartazes colados em cima do meu primeiro grafite: uma fragata!


Miguel Lemos, esq. Nossa Sra. de Copacabana, 22.02.11

Nenhum comentário: